Opinião – O Domador de Paixões

Opinião:

“O Domador de Paixões” é o quarto livro que leio da autora Catherine Anderson e o terceiro da sua série ” Kendrick/Coulter/Harrigan”. Já estou habituada a esta escrita leve e não demasiado exigente, que é uma das marcas da autora. Por isso mesmo, gosto de ter sempre um livro dela à mão para quando o meu estado de espírito se coaduna com estas condições, para poder satisfazer o meu lado mais romântico. Assim, as minhas expectativas nunca saem furadas e este livro não foi excepção. 

Este livro conta a história de Jake Coulter e de Molly Sterling Wells, uma mulher que se encontra numa encruzilhada da vida particularmente complicada. O Jake é o irmão mais velho da protagonista do livro anterior intitulado “Amor à Primeira Vista”. Podem ver a minha crítica ao livro aqui.

Eu gosto particularmente de séries que falem sobre laços familiares e gosto da ideia da autora juntar desta maneira três famílias. Confesso que adoro famílias grandes e esta série está mesmo à medida. Esta foi mais uma história doce, em que o leitor se transporta para os ranchos da América do Norte, no estado de Oregon, mais propriamente – Portland. Devo dizer que o cenário desta série é uma das características que mais me apela. As descrições da autora transportam-me mesmo para aqueles prados de infinitas proporções e faz-me desejar ser o protagonista apenas para poder vislumbrar a beleza natural, que existe. Embora as fotografias provenientes da Internet ajudem, a minha imaginação trabalha de forma mais vívida e consigo mesmo imaginar-me a percorrer largas distâncias em campos, a cavalo. É uma bela visão. 

O enredo não tem muitas alterações quanto aos outros livros da autora que já li. A fórmula acaba por ser semelhante em toda a sua série, sendo a verdadeira descoberta, os vários protagonistas diferentes que temos a oportunidade de conhecer. Este em particular, era um personagem que já tinha curiosidade em conhecer desde que o conheci, no segundo livro desta série. Fiquei impressionada com o carácter dele e conseguiu desmistificar a opinião que tinha dele, que à partida não foi muito positiva.

Em suma, o que eu quero retirar de todas estas minhas palavras é que os livros desta autora dificilmente me desiludirão, porque leio quando o meu estado de espírito assim o pede e é sempre com um prazer enorme que volto a esta série. Mesmo lendo aos poucos, vou saboreando a cada livro que passa e sem dúvida que vou continuar a seguir esta série (quase) religiosamente. 

Tenho apenas de fazer notar que tive pena de não ter visto mais interacção com os personagens antigos. Sei que já tiveram os seus respectivos livros, mas quando leio uma série, sinto sempre necessidade de rever mais os personagens que já tiveram protagonismo. Assim sendo, gostaria que as cenas com os outros personagens não tivessem sido tão breves/escassas. De qualquer modo, gostei do livro e é isso que me interessa deixar passar aos meus seguidores.

Para quem gosta de um romance levezinho, não pode perder esta autora. 






Opinião – Uma Luz na Escuridão

Editora: Ulisseia
ISBN: 9789725685938
Formato: Capa mole
Núm. páginas:350
PVP: 18,16€

Sinopse:

Poucos autores escrevem histórias comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson.As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira.No intuito de por a salvo a sua vida e a do seu bebé, das mãos de um padrasto violento Maggie Stanley, arrisca tudo numa fuga desesperada passando de um perigo para outro ainda maior. Desde a trágica morte da mulher e dos filhos, Rafe tornou-se num pobre vagabundo que lentamente afoga as suas mágoas no álcool. Assim que conhece Maggie, Rafe pressente que vão envolver-se em problemas. E quando Maggie é subitamente atacada por um grupo de vagabundos, Rafe, por compaixão, decide salvar a jovem mãe e o seu filho. Maggie está simultaneamente grata e preocupada com o seu novo protector. Na extrema solidão, na fase mais sombria que jamais viveu, a compaixão de um desconhecido, muito atraente mas pobre como ela, surge como uma luz na escuridão e proporciona-lhe o conforto e o carinho que sempre desejou e nunca teve. Rafe é bem mais do que aquilo que parece. É um homem enigmático e secreto, que poderia dar a Maggie o céu e a terra, não fora a circunstância de ter jurado a si próprio viver sozinho o resto da sua vida.Para sua surpresa, também Rafe descobre que pela primeira vez, desde há muito tempo, alguém necessita da sua ajuda e está determinado em não os desapontar. É que às vezes o amor surge sem aviso prévio e transforma o mundo mais frio e desapiedado num verdadeiro paraíso. E um homem a quem quase tudo foi roubado, uma mulher que perdeu até mesmo a capacidade de sonhar, e a criança desprotegida que de ambos necessita, podem tornar-se a mais improvável e a mais fabulosa das criações: uma família.
 
 
Opinião:
Hoje trago-vos a opinião de uma pessoa que leu este livro em português e que tem uma visão diferente da minha. Eu havia lido em livro em inglês e penso que é importante mostrar as duas faces da mesma moeda. Pedi autorização para publicar as palavras da Fernanda, que nos chama a atenção para realidade cada vez mais comum do mercado editorial português. Se quiserem ver a minha opinião, podem fazê-lo aqui.  
Convido-vos a lerem esta opinião. Afinal nunca é demais alertar para estes factores que estragam a experiência de leitura. Convido-vos também a comentarem. Obrigada Fernanda pela tua visão e por me teres deixado publicar aqui no blogue, porque é uma mais valia tanto para mim, tanto para quem me segue!
***
A tradução deste livro foi algo que me decepcionou e irritou profundamente! E, a meu ver, é extremamente mau quando na opinião que damos sobre um livro começamos precisamente pela tradução! O que principiou por me aborrecer foi o excessivo formalismo com que os protagonistas se tratavam, sempre você para aqui e você para acolá mesmo quando já eram íntimos, mais no final já misturavam o tu com o você! Por outro lado, este excessivo formalismo foi esquecido quando foram utilizados termos brejeiros sem necessidade, temos uma língua muito rica, e que acaba por nem combinar com as personagens e a próprio enredo. Nota-se também que foi feita uma tradução sem reflexão, há a utilização de termos impensáveis e completamente errados, daqueles que uma pessoa pára e pensa “não pode ser nada disto”.
Na minha opinião esta tradução está péssima.
Quanto ao enredo, passei tanto tempo incrédula com a tradução que acho que perdi metade da sua beleza… Estou muito triste e até revoltada, sinto que deito dinheiro à rua ao comprar alguns livros em português… Já deixei de seguir sagas por esse motivo! Não tarda nada deixo de ler ou tenho mesmo que me habituar a ler em inglês!
As editoras deviam ser responsabilizadas porque, não me canso de dizer, isto é o mesmo que comprar uma camisola com um buraco, quando o detectamos vamos trocar porque o produto tem defeito! O que se faz com um livro com defeito? Arruma-se na estante, assumimos o prejuízo porque se formos trocar vamos trazer o mesmo defeito e muitas vezes já em edições posteriores!   

Opinião – Amor à Primeira Vista

Editora: Ulisseia / 2008
ISBN: 9789725686089
Formato: Capa Mole
Núm. páginas: 352
PVP: 18,16€

Sinopse:
Poucos autores escrevem histórias tão comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson. As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira.
Todas as leitoras que acompanharam Rafe Kendrik e Maggie Stanley em Uma Luz na Escuridão podem agora revê-los numa nova e apaixonante aventura protagonizada por Ryan, irmão de Rafe a quem este terá de ajudar a ultrapassar um momento difícil. Um acidente sofrido há anos num rodeo deixou Bethany Coulter presa a uma cadeira de rodas. Desde então conheceu tanto as traições como os desgostos de amor, e por isso jurou nunca mais entregar o seu coração a um homem. Mas qualquer coisa em Ryan Kendrick a fez de súbito acreditar que talvez todos esses obstáculos pudessem ser ultrapassados. Ambos partilham a paixão pelos cavalos e têm um imenso sentido de humor. Mas a vida não é absolutamente perfeita. ” 
Opinião:

Amor à Primeira Vista é o segundo livro da série Kendrick/ Coulter da autora Catherine Anderson. Depois de ler o primeiro volume protagonizado por Rafe Kendrick, chegou agora a vez do seu irmão, Ryan Kendrick.
Este livro conta-nos a história de Bethany Coulter, que sofreu um acidente que a fez ficar paraplégica da cintura para baixo e de Ryan Kendrick, um rancheiro com um coração mole e que tem um fraco por animais e pessoas vulneráveis. 
Bethany pensa que devido à sua inabilidade, nunca poderá encontrar o amor da sua vida e constituir família, pelo que tenta preencher a sua vida com a pintura e a companhia da sua família, especialmente os seus 5 irmãos com uma veia muitíssimo protectora. 
Ryan, conhecido por ter um grande registo de namoros, não consegue acreditar quando vê Bethany pela primeira vez e se apaixona logo ao primeiro instante.

Tenho de confessar que quando li a sinopse tive algum receio que o livro fosse demasiado dramático, devido à condição da protagonista Bethany estar presa a uma cadeira de rodas, mas tal não aconteceu.
Se eu referi que o livro anterior tinha sido esperançoso pelo facto de ser uma história que se conseguia com facilidade comparar com a vida real, este ainda mais esperançoso é. 

A história não tem nada de deprimente, até pelo contrário. É um manifesto claro de que toda a gente pode ser feliz e pode ver os seus sonhos concretizados. É um grito de esperança para quem ainda não agarrou na vida com as duas mãos e foi à conquista dos seus maiores objectivos. 
Pessoalmente, foi um livro que me fez pensar em tudo aquilo que na vida deixamos escapar, não lhe dando a devida atenção. 
Como a autora refere várias vezes neste livro: nada está garantido, portanto temos de agarrar a vida com as duas mãos. Quantas vezes um livro é capaz de nos fazer sonhar, motivar para agarrarmos também a nossa vida com unhas e dentes?
Para mim, são poucos os livros que fazem isto. Este é dos poucos que entra na lista.
Mais uma vez, a autora deu um toque especial à história com um toque de suspense. Por mais subtil que seja sabe bem ler um livro que não seja apenas sobre o casal e há por trás da história de amor. É um toque adicional muito vantajoso e que mantém o leitor na expectativa.  
Fico com certeza ansiosa para ler os restantes volumes da saga. Para já, no entanto, vou fazer uma pausa na autora, embora o terceiro livro seja sobre um dos irmãos da Bethany e sobre o qual fiquei curiosa. 
Mas sob pena de me enjoar um pouco de histórias similares e com a mesma fórmula, prefiro mergulhar noutras leituras para aproveitar melhor o livro. 
Sim, porque esta autora vou definitivamente seguir com muitíssima atenção. 


Opinião – Uma Luz na Escuridão

Editora: Ulisseia
ISBN: 9789725685938
Formato: Capa mole
Núm. páginas:350
PVP: 18,16€

Sinopse:
Poucos autores escrevem histórias comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson.As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira.No intuito de por a salvo a sua vida e a do seu bebé, das mãos de um padrasto violento Maggie Stanley, arrisca tudo numa fuga desesperada passando de um perigo para outro ainda maior. Desde a trágica morte da mulher e dos filhos, Rafe tornou-se num pobre vagabundo que lentamente afoga as suas mágoas no álcool. Assim que conhece Maggie, Rafe pressente que vão envolver-se em problemas. E quando Maggie é subitamente atacada por um grupo de vagabundos, Rafe, por compaixão, decide salvar a jovem mãe e o seu filho. Maggie está simultaneamente grata e preocupada com o seu novo protector. Na extrema solidão, na fase mais sombria que jamais viveu, a compaixão de um desconhecido, muito atraente mas pobre como ela, surge como uma luz na escuridão e proporciona-lhe o conforto e o carinho que sempre desejou e nunca teve. Rafe é bem mais do que aquilo que parece. É um homem enigmático e secreto, que poderia dar a Maggie o céu e a terra, não fora a circunstância de ter jurado a si próprio viver sozinho o resto da sua vida.Para sua surpresa, também Rafe descobre que pela primeira vez, desde há muito tempo, alguém necessita da sua ajuda e está determinado em não os desapontar. É que às vezes o amor surge sem aviso prévio e transforma o mundo mais frio e desapiedado num verdadeiro paraíso. E um homem a quem quase tudo foi roubado, uma mulher que perdeu até mesmo a capacidade de sonhar, e a criança desprotegida que de ambos necessita, podem tornar-se a mais improvável e a mais fabulosa das criações: uma família.

Opinião:
Este é o segundo livro da autora Catherine Anderson que leio.  O primeiro livro, intitulado ” Sétimo Céu” foi, para mim, uma leitura como há muito já não tinha, pelo que decidi pegar neste livro – Uma Luz na Escuridão – que é também o primeiro livro de uma série que dá pelo o nome de Kendrick/Coulter. 
A história fala-nos sobre as personagens principais, Maggie e Rafe Kendrick. Maggie vê-se numa situação extremamente complicada, a fugir do seu padrasto com o seu bebé recém nascido. Maggie não se encontra nas melhores condições, porque perdeu a mala onde trazia o dinheiro, a sua roupa que a protegeria contra o frio imperdoável que se faz sentir em Idaho , os bens de que ela necessita para cuidar do seu filho, enquanto tentava subir para uma carruagem do comboio que a levaria na sua fuga. Para além disso, ainda está fraca devido ao recente nascimento do seu filho.
E é nestas circunstâncias que conhece Rafe Kendrick que está também a bordo desse comboio. Rafe também não está nas melhores fases da sua vida: há dois anos que deixou de ter vontade de viver e deixou a família e o seu rancho no esquecimento. A perda da sua mulher e dois filhos levou-o a ser um alcoólico que apenas desejar encontrar a próxima garrafa de uísque.
À primeira vista, não parece realmente que esta será uma história com um final feliz, nem recheada de felicidade. Mas as aparências iludem e Rafe está determinado em ajudar a corajosa Maggie e o seu pequeno bebé, Jamie dos horrores que eles já enfrentaram. 
Para quem já conhece a escrita desta autora, sabe que as histórias que ela cria, são histórias inspiradoras, recheadas de esperança e são também relatos que facilmente podemos relacionar com a vida real. É a qualidade que mais aprecio nos enredos que a autora constrói.

Ao ler o livro estava tão ligada com as personagens e o ambiente envolvente que não queria que o livro acabasse. 
As histórias são doces e quando o leitor menos espera, acontece qualquer coisa que muda o rumo de tudo e somos apanhados desprevenidos. 
Quando penso nesta autora, penso, sem qualquer dúvida em romances. No entanto, sou sempre surpreendida com o toque de suspense, ainda que muito subtil, que ela consegue dar aos seus livros. É um ponto de vantagem nestes livros. 
A autora tem um talento para surpreender e admirar os seus leitores. 
É uma autora que pretendo seguir com atenção, especialmente esta série que já conta com 5 livros publicados em Portugal, estando o sexto previsto ainda para este ano (que já era para ter saído no primeiro semestre deste ano, segundo informação da editora Arcádia).
 Fiquei com curiosidade sobre outros personagens que aparecem neste livro, pelo que comecei hoje mesmo a ler o segundo livro da série, intitulado ” Amor à Primeira Vista” que fala sobre o irmão do personagem principal, Ryan. 

Para quem gosta de livros românticos, com um pequeno toque de mistério, este livro é o indicado. 
Os corações românticos não vão resistir.