Peripécias do Coração

A sensata Kate Sheffield está decidida a encontrar para a sua meia-irmã Edwina um marido de reputação impecável. Mal ela sabe que o visconde Anthony Bridgerton já traçou um plano… que inclui a belíssima jovem! E ele não está habituado a ser contrariado… Embora Anthony seja o solteirão mais cobiçado da temporada, a sua reputação de mulherengo perturba Kate. Ela terá de agir rapidamente, pois Edwina vê com muito bons olhos os avanços do visconde. Mas Edwina fez uma promessa que não está disposta a quebrar: nunca casará sem a bênção de Kate. Cabe, pois, a Anthony convencer aquela que (espera) será a sua futura cunhada. Ele é um homem determinado e seguro de si… e não contava encontrar uma adversária à sua altura. Frente a frente, Kate e Anthony apercebem-se de que têm mais em comum do que imaginaram. Mas o que os une ameaça separá-los para sempre.

ISBN: 9789892320144 – Edições Asa / 2012

Katharine Sheffield tem uma missão. Essa é fazer com que a sua irmã mais nova, Edwina, encontre um homem para casar. Mas este não pode ser qualquer homem. Tem de ser carinhoso, atencioso e tem de amar a sua irmã. Nesta época, nem sempre é usual que as uniões matrimoniais tenham o amor na equação, mas Kate está decidida a fazer com que a sua irmã seja, acima de tudo, feliz no seu casamento. Quando Anthony Bridgerton decide colocar Edwina sob as suas atenções, Kate fica alarmada. 
Aquele maldito homem é dos que pior reputação tem. Em Londres, ele está sempre na boca dos rumores, especialmente por não querer casar. Agora que mudou de ideias e meteu na cabeça que quer constituir família, tem a certeza que Edwina será uma esposa ideal.
Isto porque para Anthony, a sua esposa não pode ser uma qualquer. Tem que ser uma mulher inteligente, afável, com bom temperamento, mas sobretudo não pode, nunca, ser uma mulher por quem Anthony se poderá, eventualmente, apaixonar. 
Kate e Anthony estão ambos intentos em atingir o seu objectivo, que são completamente contraditórios. Contudo, o destino prega-lhes a ambos uma partida e eis que o par começa a desenvolver uma atracção e algo mais entre eles e as coisas ainda conseguem tornar-se mais complicadas…
Isto porque Kate é de facto, a única mulher por quem Anthony se poderia apaixonar. Contudo, Anthony é um homem muito teimoso e a vida para estes não irá ser muito fácil, até que ambos consigam compreender que eles, são de facto, feitos um para o outro. 

A família Bridgerton volta a deliciar os leitores portugueses com o seu segundo volume! Julia Quinn deixou saudades, mas foi por pouco tempo. Lembram-se de eu ter dito que queria ler com rapidez o segundo volume? Pois. Eu nunca aprendo e só o lançamento do livro em português é que me fez lembrar que tinha esta leitura à espera a pedir para ser lida. Não tenho culpa. Existem tantos livros que pedem que eu volte a minha atenção exclusivamente para eles, que acabo por me perder. Contudo, decidi que não aguentava mais e decidi voltar a esta série. E voltei a apaixonar-me de novo pela escrita da autora tal como da primeira vez. Assim de repente, nem consigo dizer qual dos dois é o meu favorito porque confesso ter sentido exactamente o mesmo com os dois. Ambos os livros me conquistaram de uma forma diferente, mas igualmente eficiente. 
A escrita de Julia Quinn continua deliciosa – com muito humor à mistura. Estes livros são simplesmente uma doçura. Mal abro o livro, não consigo dissociar-me deles até chegar à última página e quando assim acontece, sinto-me sempre relutante em separar-me deles. Rapidamente esta autora (com apenas 2 livros e uma short-story lida) se tornou daquelas que me irão confortar sempre com as suas histórias, não interessa a disposição com que estiver. 
Serão o meu bálsamo, aquilo por que anseio quando não os leio. Aquilo por que continuar a ansiar durante a leitura.
Simplesmente não creio que me irei fartar desta família e ainda bem porque ainda me faltam 6 livros para acabar esta série. 

Esta família é irresistível em todas as suas vertentes. Mais que um romance, este foi um livro que me aconchegou em todos os aspectos. Sim, eu sei, agora seria a altura apropriada para vos ouvir dizer que eu sou uma sucker for love. E sou isso mesmo. Como tal, não consigo resistir a estes livros que me deixam simplesmente dormente. Chegando à última página, fico sempre com a sensação que adorei a viagem, mas também me sinto um pouco perdida por me ter que despedir daquela história, dos personagens, de tudo. 
A primeira descoberta é sempre especial, mas acredito que quando voltar a reler estes livros, o sentimento será exactamente o mesmo. 

Uma história linda, romântica, claramente apropriada ao público que adora uma boa história de amor com um happily ever after

Adorei, adorei, adorei. Não quero que esta série acabe. Está prometido a mim mesma que irei ler o terceiro livro rapidamente, porque estou sinceramente apaixonada por esta família. E desta vez é que não deixo o livro para trás. (Vamos lá ver quanto tempo é que vai realmente ser até que eu leia o livro). 
Absolutamente recomendado, como devem calcular. 

Opiniões da mesma autora:


Advertisements

Crónica de Paixões e Caprichos

As mães casamenteiras da alta sociedade londrina estão ao rubro: Simon Bassett, o atraente (e solteiro!) duque de Hastings, está de volta a Inglaterra. O jovem aristocrata mal sabe o que o espera pois a perseguição das enérgicas senhoras é implacável. Mas Simon não pretende abdicar da sua liberdade tão cedo…
Igualmente atormentada pela pressão social, a adorável Daphne Bridgerton sonha ainda com um casamento de amor, embora a sua espera por um príncipe encantado comece já a ser alvo de mexericos. Juntos, os jovens decidem fingir um noivado, o que garantirá paz e sossego a Simon e fará de Daphne a mais cobiçada jovem da temporada.
Mas, entre salões de baile e passeios ao luar, a paixão entre ambos rapidamente deixa de ser ficção para se tornar bem real. E embora Daphne comece a pensar em alterar ligeiramente os seus planos iniciais, Simon debate-se com um segredo que pode ser fatal…



ISBN: 9789892317762 – Edições Asa / 2012

E eis que finalmente os leitores portugueses tem a oportunidade de conhecer a autora Julia Quinn, que é das autoras de romance de época mais afamadas por esse mundo literário fora. Já há imenso tempo que tinha esta autora debaixo de olho, por isso foi com um entusiasmo enorme que recebi a notícia de que os seus livros iriam começar a ser publicados em Portugal. Aí residia a minha motivação para finalmente começar a ler as suas obras e tirar a prova dos nove. Sinceramente, já perdi a conta às pessoas que me disseram para experimentar Julia Quinn, que podiam garantir que os seus livros eram dos melhores dentro do género em que a autora escreve e eu, ainda que estivesse por demais curiosa, fiquei sempre de pé atrás a achar que talvez estivessem a exagerar demais nos elogios.
Finalmente, tive a oportunidade de pegar no primeiro volume daquela que é uma série com 8 livros. E agora não sei se consigo parar por aqui.

O Duque de Hastings precisa desesperadamente de um herdeiro. Quando a sua mulher, após várias tentativas, tem finalmente um filho, o duque fica  orgulhoso. Mas quando o seu filho, Simon, aos quatro anos ainda não diz nenhuma palavra, o duque fica convencido que o seu suposto herdeiro é um idiota e um atrasado. Por isso mesmo, recusa-se a reconhecer Simon como seu filho e desgostoso vai viver para longe do menino. 
Foram precisos alguns anos, muito trabalho e dedicação, mas anos depois Simon revela-se um jovem muito inteligente e que aparentemente já não tem problemas de fala. 
Agora, depois de 6 anos a viajar pelo mundo inteiro, o novo Duque de Hastings – Simon – volta a Londres para aceitar o seu título. O que ele não previa é que devido ao seu novo estatuto na sociedade (já para não referir o seu estado civil), faz com que Simon fique rodeado de “mamãs ambiciosas”    que querem casar as suas filhas.

Viola Bridgerton é uma mulher com vários deveres e um deles consiste na difícil tarefa de tentar casar todos os seus 8 filhos. Quando a sua filha mais velha, Daphne atinge a idade apropriada, Viola começa a empreender os seus esforços para que a filha consiga um casamento feliz, e ela não vai descansar até conseguir casar os seus oito filhotes. Daphne, desejosa para ter uma família, fica desgostosa quando não recebe propostas atraentes e por isso, começa a sentir em força a pressão da sociedade londrina para casar. 

Eis quando Simon e Daphne chegam à conclusão que têm nas mãos a solução perfeita para ambas as suas situações. Ao fingir um noivado, Daphne vai conseguir receber mais propostas e Simon fica livre de outras candidatas que possam existir. Mas conforme começam a passar mais tempo juntos, a atracção passa a ser cada vez mais difícil de negar e Daphne, que está convencida que Simon Basset poderá ser o seu príncipe encantado, não sabe o que se esconde por trás da aura de confiança do Duque…

Dizer que adorei o livro é pouco. Este livro conquistou-me de uma maneira que dificilmente vou conseguir expor em palavras. Nunca pensei que um romance de época me fizesse rir tanto ou que me emocionasse tanto. Foi um livro, do início ao fim, perfeito. Uma história muito bem construída, uma escrita de encantar, personagens igualmente bem construídas e um enredo super divertido e mais: sem ser cliché. Por isto tudo, este livro merece um lugar de destaque dentro do género. 
Daphne, uma das melhores protagonistas que já vi no género deu-me um prazer imenso durante todo o livro: determinada, com um pensamento bastante avançado para a época e incrivelmente divertida. Simon, um galã sedutor, foi também uma personagem maravilhosa e a sua história emocionou-me muito. A força e o carisma dele deram um brilho especial ao livro. 
Não tenho nada de negativo a apontar a esta obra e sem dúvida que fiquei por demais convencida que esta, é uma autora que vale a pena seguir com muita atenção.
Um romance de época como nenhum outro que já tenha lido, esta família Bridgerton apanhou-me completamente de surpresa e deixou-me completamente apaixonada. 

Vou querer ler rapidamente o próximo livro da série, que já sei, conta a história do irmão Anthony, o filho primogénito da família. Além disso, as minhas suspeitas sobre a identidade da Lady Whistledown precisam de ser satisfeitas. Pode ser que o próximo livro me dê mais pistas.

Se recomendo a leitura deste livro? Acho que vão ficar admirados com esta obra… eu fui certamente e completamente apanhada desprevenida e agora, quero mais!