Força do Desejo

Ao entrar na sua sétima temporada sem namorado, Beatrice Albright começa a entender que a sua beleza não compensa a sua personalidade irritável. Na qualidade de mulher desesperada que ninguém deseja, tem de procurar um homem com quem nenhuma outra pessoa casará: o desprezado e misterioso marquês Highcroft, Gareth Berenger. Correm boatos de que ele é um assassino, mas Beatrice tem mais receio de ficar uma velha solteirona na companhia da mãe, do que da obscura reputação de Berenger.
Contudo, embora se sinta intrigado pela sedutora proposta da jovem, também ele tem uma proposta a fazer. Dotado de gostos particulares, não casará com nenhuma mulher incapaz de os satisfazer. A sua noiva tem de ser aventureira, sem medo de nada e ansiosa por experimentar todas as paixões e prazeres imaginários, por mais chocantes e proibidos que possam parecer. Se Beatrice concordar em tentar a experiência – se conseguir eliminar todas as suas inibições – os dois casarão.
Por conseguinte, os dados estão lançados enquanto Beatrice e Gareth embarcam num percurso erótico onde o perigo os espreita a cada curva, rumo a um mundo de êxtase, onde nada é proibido… nada é negado.
ISBN: 9789898228802 – Quinta Essência (Leya) / 2012 – 228 páginas

Beatrice Albright sente que a sua vida se encontra num impasse. Esta quer arranjar um marido, mas já vai na sua sétima temporada e continua a não conseguir encontrar um homem que esteja suficientemente interessado nela para a consagrar com um contrato matrimonial. Parte dos seus problemas provém dos rumores que povoam a sociedade acerca da personalidade irascível de Beatrice. Consta que é arrogante e coloca-se a si mesma a um nível bem mais elevado do que merece, o que antagoniza as restantes pessoas com quem ela poderia criar amizade e assim ser melhor acolhida dentro da sociedade londrina. 
Gareth, marquês de Highcroft, é outro pária. A sociedade rejeitou-o após a sua mulher ter morrido em circunstâncias que podem ser caracterizadas como suspeitas. A partir desse acontecimento trágico que ditou o seu destino, o marquês isolou-se da vida social e adoptou uma existência recatada. Contudo, após a morte da sua avó, Gareth vê-se obrigado a concretizar o seu último desejo que é que Gareth volte a casar. Isso implica que este volte à sociedade e que lute contra os rumores.
Este já esperava que o regresso fosse difícil, mas não se preparou para que as mães das jovens o afastassem dele como se este fosse uma praga. A esperança para arranjar uma noiva ainda lá está, embora as hipóteses sejam quase nulas. Contudo, num encontro afortunado com Beatrice num dos bailes, ambos se reconhecem como almas solitárias naquele universo e assim firmam um acordo que tem de perigoso como de sensual…

Jess Michaels é uma reconhecida autora de romances sensuais. Já publicou várias obras, incluindo a série das irmãs Albright, do qual este livro faz parte. Os livros que foram editados correspondem aos dois últimos da série, o que não constitui nenhuma surpresa para quem está habituado a lidar com as editoras do nosso mercado. Sendo que a série tem 4 livros, os que se encontram publicados pela Quinta Essência têm os títulos de Tabu e Força do Desejo, livro que li agora.
Quando o primeiro livro, Tabu, saiu para o mercado, não fiquei interessada e nem sequer senti curiosidade de ler as obras da senhora Michaels. Contudo, como tive oportunidade de ler o Força de Desejo no blogring, decidi pelo menos experimentar a autora e ver como é que a nova experiência corria.
Sinceramente, não tinha nenhuma expectativas, esperava que fosse apenas mais um romance sensual. E assim foi. Nada de novo.

Sendo que esta foi a minha estreia, tenho que dizer que não foi difícil introduzir-me na escrita da autora. É uma escrita simples, que não deixa muito à imaginação e portanto é um livro que se lê de uma forma rápida, tal e qual fast-food. Como o livro também é magro, torna-se claro que o enredo não é muito trabalhado e apercebi-me logo ao início que aquilo que a autora construiu foi uma história de sexo com um enredo básico, paralelo ao romance entre os protagonistas. 
Até aqui tudo bem. Os romances erótico-sensuais são a nova moda e permitem ao leitor mudar os hábitos de leitura, descontraindo a mente com este registo mais leve e descontraído. 
 E realmente esta leitura permitiu-me isto tudo. O que acontece é que o meu problema com este género é o balanço que não existe entre as cenas sensuais e o contexto por detrás de tanto sexo. E este livro está claramente focado no sexo, na leve relação BDSM que existe entre Gareth e Beatrice. São cenas que servem o seu propósito, mas às quais lhe falta um pouco mais de sentimento genuíno. Acho que a ênfase está no sexo e não na relação que existe entre o casal que pode retirar benefícios de uma relação sexual activa e diferente. Aquilo que vi é uma ânsia de escrever cenas quentes, com muita acção e pouco conteúdo emocional, por assim dizer. E isso não me enche as medidas de forma nenhuma. Gosto que exista um equilíbrio entre as duas partes e é por isso que este género literário focado no erotismo me continua a desiludir um pouco. Pelo menos no que toca a estes livros mais “comerciais”. 

Sendo que achei a história medíocre e as cenas de sexo escritas um pouco de forma forçada, a tradução ainda me revolveu mais o estômago. Pergunto-me que tipo de tradutor traduz “pussy” por bichana, sendo que o contexto aqui não é do mundo animal, com toda a certeza. E pergunto-me quem traduz “pleasure” por gozo neste contexto especial. A minha leitura, já de si não muito positiva, ainda se tornou pior ao constatar que ainda andam por aí tradutores e revisores que trazem a público este tipo de má qualidade.

Uma estreia que deixou muito a desejar e posso dizer com toda a certeza que a minha experiência com esta autora fica por aqui.     




   

Advertisements