Opinião – Quero-te Muito!

Editor: Bertrand Editora / 2011
Chancela: 11×17
ISBN:  9789722522908
Formato: Livro de Bolso
Núm. páginas: 600
PVP: 9,00€

Sinopse:
Step regressa de Nova Iorque, cidade onde se auto-exilou para se afastar da sua ex-namorada Babi, da memória da morte trágica de um amigo e da mãe com quem tem um relacionamento conflituoso. Ao chegar a Roma, vai morar com o irmão, reencontra os amigos e, com a ajuda do pai, começa a trabalhar no mundo do espectáculo. Entretanto, Step conhece Gin, uma rapariga bonita e decidida, com quem inicia uma linda história de amor. Mas Babi volta a entrar na sua vida e na cabeça de Step despertam velhos sentimentos e dúvidas: Babi ou Gin… Diante da casa de qual delas irá Step escrever finalmente «QUERO-TE MUITO»?

Opinião:
Este livro é a continuação do livro ” Três Metros Acima do Céu”, sobre o qual já tinha falado aqui no blogue. Poderão ver as minhas palavras aqui. Tinha gostado bastante do primeiro volume, que fala com bastante sentimento do que é um primeiro amor. Este volume, conta-nos a história de Step, que depois de perder o seu primeiro amor e também o seu amigo, se desloca para Nova Iorque para repensar as escolhas da sua vida. O primeiro perdeu-o devido às circunstâncias da vida e o segundo, devido a um acidente de mota. Step, acha que a sua vida acabou e é assim que decidiu passar 2 anos da sua vida a tirar um curso na Grande Maçã.
Assim que volta a Roma, é assaltado por todas as recordações que deixou para trás, até que conhece Gin, a sua salvadora e aquela que vai permitir que a vida e a felicidade volte a abraçar Step. 
No entanto, embora eles tenham construído uma relação, Babi – a sua ex-namorada, volta a reencontrar Step e tudo se torna uma confusão. Step terá de fazer uma escolha. Passado ou presente? Qual aquele que o fará mais feliz?
Como já era de esperar, acabei por criar grandes expectativas com este segundo e último volume que relata a vida, os amores e desamores de Step. Tenho de confessar que apesar de o livro ter começado com um início bastante atribulado, com uma linguagem de muito mau-gosto e demasiado simplista, acabei por me surpreender. 
O autor deu uma reviravolta positiva às coisas, embora pudesse ter construído muito melhor o enredo. Acabou por estragar algumas personagens que eu gostava e foi bastante incoerente na criação das suas personalidades. 
A escrita foi outra desilusão, como já tinha referido: o que no primeiro volume foi uma escrita agradável e fluída, neste foi um rol de asneiras sem sentido e linguagem a aproximar-se, perigosamente, do ordinário. 
Com isto quero concluir que o autor é muito inconsistente, tanto na criação das suas personagens, como na própria escrita. Isto porque de um momento para o outro, a sua escrita revelou-se agradável novamente e eu gosto de livros que mantenham o mesmo registo e não que tenham pontos extremos. 
Acabei por gostar das reviravoltas que o autor deu à trama, mas para já, não penso ler mais livros deste autor. As minhas expectativas saíram um pouco defraudadas, se bem que na minha opinião, poderia ver-me a braços com uma desilusão ainda maior. Mas, em defesa do autor, sabe criar uma bela história de amor.
Ficou a experiência positiva. E esperemos que para a próxima, seja melhor.

 

Advertisements

Opinião – Três Metros Acima do Céu

Editor: Bertrand Editora / 2011
Chancela: 11×17
ISBN: 9789722523424
Formato: Livro de Bolso
Núm. páginas: 480
PVP: 10,00€

Sinopse:
Três Metros Acima do Céu é um romance apaixonante acerca da descoberta do amor por dois jovens vindos de mundos completamente distintos. Babi é uma rapariga certinha, de boas famílias, bonita e endinheirada, que está prestes a concluir os estudos num liceu fino de Roma. Step é um rapaz problemático e de carácter irascível e violento, amante do risco e da velocidade e com um comportamento muitas vezes reprovável. Um encontro casual faz com que se sintam irremediavelmente atraídos um pelo outro e nasce entre eles uma linda história de amor. Porém, será que as diferenças entre Babi e Step poderão ser superadas? Poderão eles permanecer para sempre três metros acima do céu, o sítio onde vivem os apaixonados?
Uma comédia romântica sobre o fim da adolescência, Três Metros Acima do Céu tornou-se um estrondoso sucesso de vendas a nível mundial e transformou Federico Moccia em autor de culto entre os jovens. 
Opinião:
Primeiro que tudo quero referir que já não é a primeira vez que leio este livro. A primeira vez que o li foi em 2006, aquando a sua saída e, embora já se tenham passado 5 anos, ainda me recordava bastante bem da história. Curiosamente, vim a verificar que os pormenores mais nítidos são os do final, talvez por ter sido um final intenso e que fica na memória dos leitores. 
Foi um livro que na altura em que o li me impressionou pela história de amor que o autor – que também esse ficou sempre recolhido num canto da minha mente – relata. Apenas há alguns meses, quando por acaso, descobri, ao ler a sinopse do livro de bolso “Quero-te Muito” deste mesmo autor, a referência às mesmas personagens que há tanto tempo me tinham dito tanto, voltou a vontade de ler este livro e de lhe arranjar um espaço nas minhas estantes.

No entanto, e não sendo proprietária do livro que tinha tido nas mãos há uma mão cheia de anos, decidi-me a esperar que a chancela 11×17 publicasse então este livro, Três Metros Acima do Céu, em formato bolso para poder reler a obra, de modo a ficar com os pormenores frescos na mente e depois sim, seguir para o livro que me tinha chamado à atenção. 
Foi com algum receio que parti para a leitura do livro. É certo que as leituras são vistas com olhos diferentes de cada vez que se pega num livro. E o receio que o livro pudesse perder o encanto que para mim, foi no início algo que não consegui ultrapassar.
Fico contente que tal não tenha acontecido e que esta segunda experiência, apesar de avaliada por olhos mais crescidos, tenha sido tão doce quanto a primeira. 

Este livro conta-nos a história de dois jovens no final de adolescência que não poderiam ser mais diferentes: Babi, que anda em escolas privadas e sempre foi uma menina protegida é o oposto de Stefano – de alcunha Step – que é um rapaz com problemas e que tende a tornar-se violento. Babi está no último ano e pretende prosseguir os seus estudos enquanto que Step, depois de acabar a escola, nem quer sequer quer pensar em entrar para a universidade. O improvável acaba por acontecer e os dois apaixonam-se e vivem uma história de amor muito terna onde nem as diferenças que se fazem notar entre estes dois personagens, chegam. Esse lugar, onde nada importa senão o afecto que sentem um pelo outro está para além do céu. De facto, encontra-se mesmo a três metros acima do céu.
O autor fez um excelente trabalho na caracterização do que é ser jovem, sem no entanto, tornar o enredo aborrecido. Estas personagens ao mesmo tempo juvenis e no limiar da idade adulta, são personagens com uma consistência que não se encontra hoje em dia na generalidade dos livros “young-adult”. É, sem dúvida alguma, refrescante, verificar que o autor consegue construir personagens cativantes e não aborrecidas, sempre com incertezas e dúvidas existenciais que ocupam todo o enredo, sem mais nada ter importância.
O que me veio à cabeça ao ler este livro? A primeira vez que nos apaixonamos, aquele sentimento de felicidade que ninguém nos consegue roubar, porque é mais importante que tudo. Todas as primeiras sensações que são novas e que não nos deixam pensar em mais nada, como se nos estivéssemos a afogar em felicidade.
É um livro divertido e leve mas que se foca também em assuntos importantes e que nos mostra que apesar de nem sempre tudo correr bem na vida, podemos encontrar algo que nos faça sorrir ao acordar pela manhã e enfrentar as adversidades que se nos atravessam pelo caminho.

Só posso dizer que se gostei da primeira leitura, esta re-leitura veio ainda intensificar mais o sentimento. 
Agora, com a curiosidade a instalar-se dentro de mim, parto para o volume que é também a continuação da vida destes belos personagens – Babi e Step – que prometem ainda bons momentos (espero eu).