Celestial

Clara Gardner descobriu há pouco tempo que é uma sangue-de-anjo. Ter sangue de anjo a correr-lhe nas veias, faz com que fique mais inteligente, mais forte e mais rápida do que os humanos. Significa também, que tem um propósito. Uma razão para ter sido colocada na terra. No entanto, descobri-lo, não é fácil.


As suas visões de um enorme incêndio florestal e de um rapaz atraente que ela não reconhece, levam-na para uma nova escola, numa nova cidade. Quando conhece Christian, o rapaz dos seus sonhos (literalmente), tudo parece encaixar no lugar – e, ao mesmo tempo, fora do lugar. Afinal, existe Tucker, outro rapaz que apela ao lado menos angélico de Clara.


Ela deseja apenas encontrar o seu caminho num mundo que já não compreende. Mas encontra perigos invisíveis e escolhas que nunca pensou ter de fazer – entre a honestidade e o engano, o amor e o dever, o bem e o mal. Quando o incêndio da sua visão finalmente acontecer, estará Clara preparada para enfrentar o seu destino?


ISBN: 9789896373061 – Saída de Emergência / 2011 – Colecção Bang!

Os anjos chegaram para ficar

A seguir aos vampiros, lobisomens, demónios e bruxas, é a vez dos anjos prosperarem na literatura paranormal. Assim, em Celestial vamos conhecer os sangue-de-anjo. Clara Gardner, adolescente prestes a fazer os seus 17 anos de idade descobre que é parte anjo. Na verdade, a sua mãe é metade anjo, o que significa que Clara, tendo um pai humano, tem apenas 1/4 de sangue de anjo dentro de si, uma quartarius, como lhe chamam. No entanto, mesmo sendo 3/4 humana, Clara manifesta os poderes característicos dos anjos: é mais rápida, mais inteligente e mais forte do que os seus companheiros que são meramente humanos. Se ser anjo significasse apenas ter estes poderes fantásticos e poder viver feliz e incógnito, seria tudo um sonho. Mas a verdade é que os anjos foram colocados na terra por uma razão. E cada um deles tem o seu próprio propósito na vida. Uma missão que recebem e que têm de realizar. Para cada anjo, cada propósito é diferente e a tarefa que têm de fazer, embora seja mais intuição do que outra coisa, implica que estes tenham de descobrir qual é o verdadeiro objectivo que têm que cumprir. E isso parece mais fácil dizer, do que fazer. 
Clara, através de visões acaba de receber o seu propósito. Estas manifestam-se com um incêndio florestal onde ela vê um rapaz de costas. Ela não o conhece de lado nenhum: não sabe o seu nome, não sabe de onde ele provém, mas sente que este precisa de alguma maneira, de ser defendido/salvo de um perigo que ainda lhe é desconhecido. O seu propósito acaba por obrigar Clara e a sua família a mudar-se da Califórnia para Wyoming, onde Clara vai conhecer Christian – o rapaz que ela viu nas suas visões.
Entre os treinos a Clara terá que se submeter para se preparar para a sua missão e a vida normal de adolescente, será que esta vai conseguir manter a sua vida equilibrada? Será que no final de tudo, poderá voltar a ser uma adolescente normal, com preocupações normais, ou nunca mais nada será igual?

Eu adoro a temática de anjos. Não sei explicar de forma concreta a minha fascinação, só sei que é um tema que normalmente me costuma agradar. No entanto, como em tudo, nem tudo o que falará sobre anjos será do meu agrado e portanto nunca me atiro à primeira numa leitura destas, porque sei que o risco de sair desiludida é muito grande. Apesar das boas opiniões que vi serem feitas a este livro, deixei que a minha própria indecisão se arrastasse até que finalmente ganhei alguma coragem e decidi arriscar. E ainda bem que chego ao final da leitura e digo que encontrei um livro young-adult, que não me exasperou com o típico “quem sou eu, será que a minha vida é só isto, quero o rapaz A, não, se calhar quero mas é o B – afinal tem mais músculo, whatever”. É verdade, também eu própria já fui adolescente, mas normalmente este tipo de literatura acaba por exagerar demasiado a condição da adolescência, por assim dizer. Vá lá, nem todos os teens que andam por aí são uns burrinhos disfarçados de pessoas, não é?
E finalmente, eis que Cynthia Hand, nos apresenta um conjunto de adolescentes de facto, interessantes. As personagens estão bem trabalhadas e foram igualmente bem exploradas e acabei por me identificar muito com Clara por causa de relação que ela tem com a mãe, uma relação de amizade muito próxima. 
As crises existenciais, momentos cliché, vulgares neste tipo de livros deixam de ser prioridade e o leitor acaba por ser surpreendido com um enredo bem construído que tem uma estrutura lógica. O mundo que a autora criou é igualmente interessante e cativante e a maneira como ela introduziu o leitor a este novo universo dos anjos está simples, eficiente e não é nada aborrecida. Vai adicionando novas informações conforme se avança no livro e no entanto, deixa alguma coisa para o leitor ir seguindo a migalhas, como se fosse um rasto de doces. 

Mas, atenção, apesar de tudo isto serem vantagens – não me interpretem mal. Este livro não deixa de ser um romance sobrenatural adolescente. Temos alguns momentos clichés, temos também o triângulo amoroso e temos também a nova escola, a nova cidade, a relação sobrenatural – humano. Tudo aquilo que caracteriza um livro deste género, está lá. No entanto, em vez de ser um livro superficial com um enredo atabalhoado e com personagens que não têm um único pensamento coerente, Cynthia Hand congratulou-nos com um livro cativante, onde de facto se consegue perceber o porquê de existir um triângulo amoroso, onde as personagens apesar de ser adolescentes se conseguem comportar como gente normal, mas mais importante que isso tudo, para mim: um livro que me deu um prazer imenso a ler e que não me fez revirar os olhos nem uma vez que fosse e conseguiu deixar-me com uma curiosidade extrema no que se refere ao segundo volume. Fez com que me apercebesse que a autora conseguiu não ser superficial e conseguiu dar ao seu público algo pelo qual ansiar. 
Apesar de ter achado o final um pouco óbvio referente à situação em que a Clara ficou, a minha experiência não se revelou menos positiva por isso.

Em suma, Cynthia Hand traz-nos um livro de leitura agradável e fluída, com uma escrita envolvente, um enredo cativante e um mundo que vale a pena explorar com mais atenção. 
Encontro-me ansiosa para poder ler o segundo volume, para saber mais sobre Clara e companhia.