Persuasão

É em Persuasão, o último romance acabado de Jane Austen, que encontramos a sua heroína mais notável – Anne Elliot. Naquela que é a sua obra mais amadurecida, que descreve uma órbita de afastamento nítida em relação ao tom predominantemente satírico dos seus anteriores romances, Austen trata o carácter e os afectos da protagonista de uma forma que, sem perder totalmente de vista a ironia, é, sem sombra de dúvida, muito mais terna, e anuncia já uma percepção mais aberta e dinâmica da personalidade e comportamentos humanos. Uma história de amor, desenvolvida com profundidade e subtileza, proporciona o campo ideal para um estudo reflectido, que sustenta na sua linha de horizonte o complexo relacionamento entre os dois sexos, e no qual homem e mulher surgem como seres moralmente análogos.

ISBN: 9789722321136 – Editorial Presença /2007 – 256 páginas

O Regresso do Rei - Senhor dos Anéis, Vol.3

Jane Austen conquistou-me com a sua obra Orgulho e Preconceito. Já faz alguns anos que me apaixonei por essa obra e nunca mais a esqueci. Depois dessa primeira experiência inigualável com a autora, decidi ir lendo aos poucos os outros livros que ela escreveu. Contudo, não posso dizer que me tenham conquistado tão irremediavelmente quanto o Orgulho e Preconceito (e Mr. Darcy, claro). Persuasão era um livro que já estava na minha estante há algum tempo e vinha com elevadas recomendações. Com recomendações tão boas quanto as que dou hoje em dia de Orgulho e Preconceito, pelo que posso dizer que as minhas expectativas eram elevadas.
É óbvio que Jane nos traz uma história de amor, mas é uma história sofrida onde o leitor investe as suas emoções no enredo, nas personagens e em todas os eventos a que assistimos. Esta história apresenta-nos Anne Elliot e Frederick Wentworth, mais conhecido como Capitão Wentworth. Naquele que foi um romance frustrado há sete anos atrás, Anne é persuadida pela família a desistir desta ligação porque Wentworth não tem nome, posses e herança. Anne, na altura, acaba por se deixar ir nos argumentos apresentados, mas nunca conseguiu esquecer esta ligação, este amor. Sete anos depois, Wentworth regressa com as regalias e o nome de Capitão e tem ideias de assentar e criar uma família, só precisa da mulher que ele visiona como sendo a perfeita para a sua personalidade.

Apesar de ter começado a leitura a achar que não poderia encontrar obra melhor que Orgulho e Preconceito dei por mim completamente encantada com esta história de amor. Os livros de Jane Austen começam todos com um ritmo muito lento e descritivo, como que preparando o palco para as cenas que serão realmente mais importantes para um futuro próximo. Quando leio um livro de Jane Austen, o que a leitura destes livros me fazem sentir é um percurso emocional muito idêntico: primeiro as emoções estão latentes, como que adormecidas. Sente-se alguma coisa, mas ainda não se percebe o efeito total das emoções. Ao longo da leitura, as emoções começam a vibrar, de maneira que não podem ser ignoradas e a frustração ajuda a reavivar essas mesmas emoções que começaram por estar latentes. E quando se chega aos últimos capítulos da obra essas emoções explodem todas num repente esplendoroso, perfeito. Esta obra não foi excepção nenhuma e adorei todo o percurso que vivi com Persuasão.

Não tirando crédito ao estilo narrativa de Jane Austen, com as suas tiradas sarcásticas, com a sua crítica subtil à sociedade educada londrina da altura, os comentários à literatura da época, o que mais me conquistou foi mesmo o romance. E Anne Elliot e Captain Wentworth, não tendo levado o prémio de melhor casal (esse vai para Darcy e Izzie) levam um segundo lugar muito renhido no meu coração. Adoro a forma como a autora explora e desenvolve os seus personagens e adoro a forma como manipula os acontecimentos para frustrar o romance entre os protagonistas até ao momento final.

E esse momento final compensa sempre qualquer desespero, tristeza ou frustração, pois são momentos de uma beleza indescritível, onde as palavras fazem realmente jus ao romance. Organizadas e construídas de uma forma tão… intensa. Essas palavras são a força demonstradora de tudo o que une os casais de Austen. Alguém que consegue moldar as palavras para lhe dar toda essa beleza merece a minha estima e a minha apreciação.

Mais um livro que irei guardar no meu coração e com ele criar expectativas irrealistas quanto ao romance em geral. 😛

4,5

Advertisements

3 thoughts on “Persuasão

  1. Como assim “expectativas irrealistas quanto ao romance em geral”? Todos os homens escrevem cartas como o Went…. Oh, espera… afinal não. 😛

    Ainda bem que gostaste! É o meu romance preferido da autora e sim, como é que uma moça vai arranjar alguém se os heróis fictícios são bem mais interessantes? xD

  2. Eu ainda não me apaixonei pela escrita de Jane Austen. Li o Sensibilidade e Bom Senso e apesar de ter gostado não adorei. Ainda tenho o Orgulho e o Preconceito para ler mas até tenho receio.

    Beijinhos Filipa

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s