Especiais

Tally Youngblood pensou que tudo não passava de um rumor, mas agora é uma Especial.Uma máquina de luta criada para controlar os Imperfeitos e manter os Perfeitos na maior ignorância.Ser programada de forma perfeita, com uma força extraordinária e um único propósito, talvez não seja a melhor coisa que lhe podia ter acontecido. Tally ainda tem memórias de algo mais. Tem sido fácil ignorá-las, até que lhe é oferecida a possibilidade de exterminar os rebeldes do Novo Fumo para sempre. Tudo se resumirá a uma escolha final: seguir aquele longínquo bater do coração ou levar a cabo a missão para a qual a conceberam.

ISBN: 9789896680145 – Vogais & Companhia / 2011 – 288 páginas

O Hobbit

Este é o terceiro livro da série Uglies que leio e o penúltimo. Especiais mostra-nos a protagonista Tally Youngblood numa outra nova fase da sua vida, com os novos desafios que esta apresenta. As aventuras da adolescente Tally Youngblood e companhia não param por aqui e mesmo quando tudo parece acabar bem ou estar a ir no rumo certo, é quando tudo se desmorona.

Confesso que quando comecei a ler esta série pensei que tinha encontrado aqui leituras agradáveis. O primeiro livro foi um pouco fraco em termos de enredo, mas estava muito bom em termos do mundo que o autor construiu. Fez-me pensar no mundo das aparências e no valor que damos à beleza e nos ditos padrões normais daquilo que é belo. Depois desse primeiro impacto, tinha algumas expectativas para os restantes volumes da série e foi com alguma esperança que achei que o autor iria tomar um rumo parecido àquele que tinha imaginado na minha cabeça.

Contudo, o segundo livro não se revelou uma leitura tão frutífera e já existiram mais factores que me desiludiram. Contudo, reservei a esperança que ao aproximar-se do fim da série o autor desse um rumo diferente aos seus livros e à sua protagonista, Tally Youngblood.
Chegando à leitura deste terceiro livro deparo-me com um cenário igual ao segundo livro, pelo menos no que toca em desilusões. A verdade é que o autor escolheu apresentar as aventuras da Tally de forma muito cíclica e embora eu não dissesse que isso tem que ser negativo, neste caso, não me conseguiu captar a atenção e/ou o interesse. Pelo contrário. Acho que esta forma repetitiva, este ciclo que se inicia a cada novo livro e que acaba no último capítulo de cada volume, traz pouca dinâmica a esta história e à série.
Chega inclusive a dar a sensação de que estivemos a ler o mesmo livro até agora e não houve realmente nenhuma evolução. O que não é verdade, pois embora Tally a cada nova fase experimente os mesmo sentimentos, a verdade é que ela já evoluiu de alguma forma desde o primeiro volume.

Só não está a ser uma evolução com a qual eu contasse. Creio que a subida na hierarquia desta sociedade está a ser apresentada de forma interessante, mas a personagem de Tally – constantemente com as mesmas dúvidas, sem de facto aprender a lidar com aquilo que verdadeiramente lhe acontece – torna-se aborrecido.

O final já não foi a surpresa que eu esperava que fosse. Chegámos ao fim de um ciclo que acabou da forma que eu esperava que acabasse e por esse prisma não houve nenhuma novidade, nenhum entusiasmo.
Vou ler o último livro exactamente por ser o último livro da série, mas as esperanças que esta série fosse uma maravilhosa, dissiparam-se há muito.

Contudo, não deixa de ser uma narrativa tipicamente young-adult (com os seus atractivos) que creio que poderá agradar a outros leitores.

Pássaros Feridos

Advertisements

One thought on “Especiais

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s