Estados de Espírito #34

Acho que todos os bloggers passam por fases em que negligenciam os seus blogues por algum tempo. Negligenciar é uma palavra algo forte, mas a verdade é que todos passamos por alturas em que temos de colocar a nossa vida virtual em pausa. Por múltiplas razões. A mim, já não é a primeira vez que acontece. E não será a última, certamente. É um ciclo natural da vida de um blogger, diria eu.
Quando vejo que já não posto há algum tempo, sinto um pouco aquele sentimento de culpa. Porque é bem sabido que um blogue é como uma flor. Se não for regado e se não se lhe der atenção constante, ele vai morrendo. Até desaparecer. Claro que não quero com isto dizer que o Labirinto vai desaparecer. Nada disso. Até que eu me farte disto, o Labirinto não morre. Mas por vezes sinto que quando não lhe dou atenção, algo na minha consciência diz: “Ah, nunca mais foste dar atenção ao teu blogue – ele que tanto trabalho te dá. Devias ter vergonha, até parece que não te preocupas com ele. ”
É verdade, a minha consciência diz-me coisas deste género.
E ultimamente é o que tem acontecido com o pobre do meu blogue. Sinto que o pus em segundo, terceiro ou até mesmo quarto lugar da minha vida, simplesmente porque estou numa fase em que não estou a dar tanta atenção ao meu blogue.
Por vezes é falta de motivação para vir escrever, sentir que não há nada de novo para mostrar a quem está do outro lado. Sentir que não tenho muito que dizer. Por vezes é o sentimento de que afinal as minhas opiniões já não precisam de ser escritas. É todo um conjunto de pensamentos que limitam a minha actividade no blogue. E que não mostram o quanto eu adoro escrever neste blogue e o quanto eu adoro publicar novas opiniões ou simplesmente ter a painel de controlo do blogue aberto à espera que eu escreva um novo post.
Contudo, por outro lado, é sempre tão refrescante quando esta fase passe e tudo o que quero fazer é publicar múltiplos posts no mesmo dia, mesmo que sejam posts breves, um simples “olá, estou aqui, ainda não me fui embora”. A beleza de um blogue também é essa – ter a liberdade de escrever quando apetece e de não escrever quando não se está para aí virado.
Porque isto não é uma obrigação, é um prazer. E o “regar” do blogue é uma actividade contínua, sem tempo útil, sem prazos de validade.

Advertisements

6 thoughts on “Estados de Espírito #34

  1. Entendo aquilo porque estás a passar, também há algum tempo que não dou tanta atenção ao meu como antes, mas surgem outras prioridades e até interesses. Quando me deixei de preocupar com isso, porque para mim o blog deixou de ser uma flor que tem de ser regada para ser um amigo com quem falo de vez em quando, descobri que quando escrevo acabo por fazê-lo melhor ou pelo menos cingir-me ao que interessa, ao que importa e ao que de facto quero dizer. 🙂

    • Pois é, concordo com o que dizes. Se estivermos preocupadas em postar só para não perder actividade, acabamos por sentir que a actividade já não é um prazer. Se postarmos porque assim nos apetece, as coisas saem com muito mais qualidade e gostamos mais daquilo que sai.

  2. O meu blog está a passar por um momento desses. O trabalho e a universidade, assim como as leituras em atraso e novos projetos que estou a abraçar têm vindo em primeiro lugar. E também sinto que o negligencio um pouco, e sinto falta de escrever com tempo post atrás de post… Mas enfim, a vida não pode resumir-se só ao mundo virtual, há um mundo cheio de livros lá fora 🙂

    • É isso! As nossas prioridades não se podem cingir à nossa vida virtual se não… Além disso, o que interessa é o quanto nos divertimos e quanto prazer tiramos daquilo que postamos nos nossos blogues, não quantos posts publicamos. 🙂

  3. Eu mesmo que queira descansar.,a Ne não deixa! hihi estou a brincar mas realmente é mais fácil um blog estar actualizado quando é mais que uma pessoa, que é o caso do meu. Desde que não desapareças sem deixar rasto é tranquilo..há blogs que acompanho que só de mês a mês postam algo 😉 e esses posts até sabem melhor!

    • É. Eu ando sempre atrás dela tipo a minha mãe, mas em vez de dizer “estuda filha” é tipo “posta mafi” ahahah

      Ai Filipa como te intiendo! Mas olha que esses tempos de pausa servem mesmo para quebrar a rotina e fazer te pegar no blog com outra vontade. pelo menos acontece comigo isso.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s