Estados de Espírito #30


Há coisas no mundo dos blogues que me espanta, me aparvalha e me deixa estupefacta e que  me continua sempre a admirar. Chamem-me ingénua ou inocente, mas quando entrei nesta coisa dos blogues nem em milhões de anos achei que havia tanto interesse subliminar por aí que não fosse o prazer de escrever e de contactar com os nossos seguidores/leitores. Há tanta coisa que me deixa feliz no meu blogue e todas elas são intangíveis. Não consigo contar o número de amizades e conhecimentos que já fiz a partir deste canto virtual, o quanto cresci, o quanto aprendi e só o facto de publicar um novo post ou algo novo e inovador para os meus leitores me deixa um sorriso na cara. 
É porque isto não é uma obrigação, ou pelo menos não é assim que alguém se deve sentir quando tem um blogue. 
Pergunto-me se todas as pessoas que têm um blogue pensam na razão porque o criaram. Se alguém me fizesse esta pergunta, rapidamente e com certeza diria que é por:

Primeiro, amar livros e sentir a necessidade de comentar sobre tudo o que sinto quando os leio. 
Segundo, gostar muito de escrever e de conhecer novas pessoas e trocar opiniões sobre os mais variados assuntos.
Terceiro, por ser um espaço onde posso escrever por mim, para mim e dar asas à minha imaginação e onde posso deixar as minhas palavras correrem livres sem nenhuma limitação. 
Quarto, porque gosto de ter uma voz, de não manter tudo cá dentro onde não terá nenhum impacto. Mesmo que tenha pouca gente a ler verdadeiramente aquilo que aqui escrevo, ao menos sei que não me fiquei pelo pensamento e que dei um passo à frente.
Quinto, porque como já referi, fiz novos amigos, abri novos horizontes e aprendi. Muito.
Sexto, porque gosto genuinamente de fazer isto e faço-o por prazer.

Eu percebo que neste século, os blogues sejam uma ferramenta muito importante de divulgação e de aproximação aos seus consumidores e também percebo que o mundo competitivo onde vivemos seja uma pressão para nos obrigar a sermos os melhores em tudo o que fazemos. Transportando esta realidade para os blogues dentro da área que conheço e onde me sinto mais confortável, posso dizer que algumas corridas são de facto malucas. A pressão para ganhar isto e aquilo, ser considerado isto e aquilo, receber 40 000 mil livros por mês de várias parcerias que depois não se lê só para podermos dizer que recebemos e que somos os maiores, a produção em massa de publicidade chata e muita palha por aí, obrigam-me a pensar onde está então a motivação de quem criou os blogues. Pensava que estávamos nisto para a diversão e para o culto pessoal e não para nos tornarmos interesseiros com alguma ganância à mistura. 

Não é para generalizar, mas sem dúvida que muita coisa me desalenta neste universo virtual por vezes. Dou por mim a rezar para me manter firme aos meus princípios e objectivos que tenho aqui para o meu mundo isolado e que me dá tanta satisfação (estes bloggers que andam por aí e que ainda fazem isto pela desportiva e pelo convívio, mais do que pelos ganhos materiais começam a escassear, mas ainda se encontram tesouros por aí).

Este foi outro desabafo parecido a outros que já fiz dentro do tema da blogsfera, portanto, desculpem a repetição. É que às vezes, é preciso só mandar cá para fora as coisas que tanto nos chocam cá dentro. Obrigada pela compreensão, meus caros leitores. São vocês que, apesar de tudo, continuam a “aturar” toda e qualquer disposição que eu tenha. 


control, disgust, frown, kiss, laugh
(favim.com)

12 thoughts on “Estados de Espírito #30

  1. Ainda há muita gente, felizmente, que tem um blog simplesmente porque gosta de escrever sobre livros e não só.
    Mas, no geral, concordo totalmente com o teu desabafo.
    Boas leituras

  2. Concordo com o teu estado de espírito 🙂
    Há por aí muito blog que nasceu para poder ter livros grátis da parte das editoras. Não duvido que goste de ler, mas o objetivo passa muito para ter livros gratuitos.
    Mas também aí a culpa passa pelas editoras que não escolhem mais selectivamente as parcerias delas, não vem as opiniões construtivas que são feitas aos diversos livros e assim…
    É como quando participamos em passatempos de livros, temos de ser seguidor de blog, do facebook, de tudo e mais alguma coisa para termos hipotese de ganhar o livro – isso não significa que as pessoas gostem do blog e que o sigam diariamente para saber as opiniões…. nem que um blog que tenham 200/500 seguidores seja um bom blog.

  3. Concordo com quase tudo o que disseste Veruska, embora, para ser sincera, seja muito distraída e muitos desses casos me passem completamente ao lado.

    No que diz respeito a passatempos eu faço parte do grupo que exige que quem participa seja seguidor do blogue ou do face, até porque me facilita imenso na hora de verificar as participações se pessoa X participou apenas uma vez. Mas isso já tem a ver com a maneira de pensar de cada um. Pessoalmente, é algo que não me incomoda, mas àqueles a que incomoda sempre podem optar por não participar 🙂

    “isso não significa que as pessoas gostem do blog e que o sigam diariamente para saber as opiniões…. nem que um blog que tenham 200/500 seguidores seja um bom blog.” Completamente verdade, embora inicialmente possa dar a ideia em contrário. Nalguns casos vês um blogue com imensos seguidores e pensas que é bom e afinal não é tão bom assim… e noutros casos há blogues com poucos seguidores e muita qualidade. E nalgumas excepções, o nº seguidores traduz a qualidade do blogue. É tudo muito relativo no que diz respeito à blogosfera, é preciso analisar caso a caso :$

    Beijinhos

  4. Pois é Vera, nem me lembrei desse pormenor e é igualmente importante, porque enfim, se os blogues nascem é também porque há quem lhes dê as parcerias e alimente este tipo de atitudes. Também nunca percebi essa coisa dos passatempos, quer dizer, é a força que querem fidelizar os seus leitores. Eu agora raramente participo os passatempos porque tenho sempre de fazer mil e uma coisas e mesmo assim a possibilidade de ganhar é sempre mínima!

  5. Também concordo contigo Catarina, por isso é que fiz a reserva no meu post de não querer generalizar. Mas sinceramente e se posso aqui ser honesta, se há coisa que me irrita é ver aqueles blogues que produzem em massa post de publicidade, têm 40 000 mil parcerias e nem têm tempo para os ler. Nesses casos e sei perfeitamente que existem, pergunto-me porquê. Eu sei que é giro e prestigioso ter uma montanha de livros, mas… há um certo limite para tudo.

    Em relação aos passatempos, é a tua postura e sei que a tua postura neste caso é diferente e ainda bem que mostraste o outro lado da picture. Mas também sei que há casos onde isto é só para criar número e vista.

    Aquilo que eu pretendia desabafar é o tipo de atitude que se tem e porque isso se desvirtua o propósito de ter um blogue. Pronto, é a só a minha opinião claro, mas na minha cabeça não consigo encaixar. Eu nem os meus próprios livros consigo ler, porquê ir à ganância dos livros? A mim só me deixa triste, longe de mim querer julgar o que os outros fazem. Estou-me nas tintas para o que o meu próximo faz, mas há cenas que vejo que me fazem impressão aos olhinhos! ;P

  6. Isso também depende muito da mentalidade do blogger em si. Eu tenho parcerias, divulgo todas as novidades que me enviam porque quem me segue pode estar interessado nessas novidades. Peço às editoras tudo o que me aparece à frente? Não. Peço um ou outro e dou prioridade a esses livros, porque se o pedi é porque o quero ler, e porque a editora fica à espera da opinião quer seja positiva, quer seja negativa [no caso de o ter pedido para esse efeito]

    Tenho bastantes livros para ler? Tenho. Biblioteca, Blog Ring, pessoas super fofinhas que me emprestam livros e até livros que são mesmo meus… vai acumulando xD Tento sempre dar prioridade aos emprestados e Blog Ring porque há prazos ou não são meus e então não gosto de retê-los muito tempo e são esses que às vezes me deixam stressada. Mas vai-se gerindo. É preciso reconhecer os nossos limites e ter o mínimo de bom senso..

    Mas sim, percebo completamente o teu ponto de vista. É bom que vás falando nisso, porque como disse sou distraída :p

  7. Concordo em muito com aquilo que dizes Filipa! Confesso que a parte de conseguir livros grátis por parte das editoras é algo bastante vantajoso para quem não tem muita disponibilidade financeira para comprar livros! Mas é como dizes, há por aí de tudo. Há aqueles que têm mil e um livros para ler e mesmo assim a “sede” por mais leva-os a procurar mais.

    Por acaso eu vou participando em alguns passatempos porque como tenho pouca disponibilidade financeira dá cá um jeito ganhar livros :)! Mas também me irrita ter de cumprir uma data de passos e depois quase não sigo esses blogs porque não me identifico com a forma como eles abordam o livro e como opinião acerca dela (odeio aqueles que se limitam a colocar sinopses… aborrece-me de morte).

    É como dizes, as editoras em busca de mercado global e publicidade não avaliam correctamente os blogs dos quais se tornam parceiros. E, por exemplo, tenho muita consideração pelas pequenas editoras que muito raramente aparecem mencionas aqui na blogoesfera.

    Identifico-me com os motivos de criação do blog que identificas! O prazer que dá em escrever, embora para poucas pessoas que sei que são as melhores, o tomar conhecimento com outras opiniões outras visões do mundo dos livros e daquilo que nos rodeia e as pessoas que vamos “conhecendo” tornam esta este passatempo um fantástico companheiro das horas felizes, dos momentos de solidão, nos momentos mais tristes…

    Para tudo existe o equilíbrio e acho que é isso que começa a faltar em alguns!

  8. Também gostava de participar mais em passatempos, porque o meu orçamento para livros é cada vez menor. Mas acabo sempre por me aborrecer :/
    Ou deixo passar as datas. Por isso olha, espero que os livros apareçam na biblioteca, ou que me emprestem, enfim.. Vou arranjando alternativas e vou poupando quando consigo comprar um ou outro livrinho! 😀

    Não poderia dizer melhor, acho que é mesmo a questão do equilíbrio que falta em alguns. Eu adoro entre companheirismo entre bloggers e contactos que encetamos. Acho que é das melhores coisas que ganhei com este blogue! 😀

  9. Também me acontece isso e acabo por fazer um pouco como tu!! 😀 Sou cliente assídua da biblioteca! Outra coisa que faço e trocar os pontos dos cartões do supermercado e fazer umas poupanças ao longo do ano para comprar algum livro em datas importantes!

    Também gosto muito deste companheirismo. Embora não conhecendo pessoalmente nenhuma das pessoas que estão por detrás dos diferentes blogs que acompanho, gosto de manter estes contactos e respeitar o trabalho de cada um! 🙂

  10. Como me revejo nas tuas palavras! Os blogues sobre livros proliferam, mas muitos deles, tal como referes, não nasceram porque as pessoas gostam de ler, nasceram para poderem “competir” com os já existentes e para “sacar” o maior número de livros às editoras para depois trocar ou vender. Cada vez é mais um negócio do que uma paixão.
    Com os passatempos, pelo que vejo de alguns comentários que vão passando no facebook, acontece o mesmo, ou seja, muitos dos passatempos já têm “vencedor” antecipado…
    Isso é muito mau porque vai descridibilizar os blogues que já existem e que têm um único objectivo: a paixão por ler.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s