Lua-de-Mel em Paris

Deixe-se levar pelos sentidos nesta viagem à cidade mais romântica do mundo.

Paris, a cidade mais romântica do mundo, é palco de luas-de-mel de sonho e de paixões recentemente descobertas. E para Lara Lewis é o lugar onde ela e o marido viveram o amor no seu melhor. Mais de vinte anos depois, Lara deseja reacender a chama do seu casamento e planeia uma aventura romântica para os dois: reconstituir todos os momentos da sua idílica lua-de-mel em Paris e pela França, visitar os mesmos lugares, comer nos mesmos restaurantes, explorar as mesmas aldeias mágicas. Porém, quando o marido lhe diz, à última hora, que existe outra mulher na sua vida, o coração de Lara quase se estilhaça em mil pedaços.

Algures na estrada da vida, Lara perdeu-se a si própria. Agora, terá de descobrir um novo rumo para a sua existência. Inesperadamente, Lara dá um passo ousado e convida um homem, mais novo e com quem ela acaba de se envolver, para fazer a tão desejada segunda lua-de-mel. O que se segue é a história de dois apaixonados errando pela França numa louca aventura romântica, que se inicia com voos perdidos e bagagem extraviada e termina como sendo a viagem de uma mulher para se encontrar a si própria e ao amor que lhe escapou a vida inteira.

Lua-de-mel em Paris é uma incursão apaixonante pelos sabores, sons, paisagens e aromas de França e a história de uma mulher que se reconcilia com o seu passado e se converte na mulher que sempre desejara ser.


ISBN: 9789898228239 – Quinta Essência (Leya) / 2010

Lara Lewis, mulher de Bill Lewis há vinte e cinco anos – um muito aclamado doutor que tem como primeira prioridade e única, a carreira – quer celebrar a segunda lua-de-mel com ele, reconstituindo aquele que foi o percurso que eles fizeram há tantos anos atrás, quando estariam no auge da paixão e recém-casados, com a vida e o amor pela frente. Contudo, este diz-lhe que é chamado por questões de trabalho a Pequim e Índia e portanto, têm que adiar este evento. A questão é que Lara sabe que Bill não irá viajar sozinho e sabe igualmente que este arranjou uma mulher mais nova para o entreter. Desamparada e a sentir que a sua vida está a desmoronar, Lara vai passar uns dias na sua casa de praia, em Camel, para descansar a cabeça e tentar controlar as suas emoções. 
E é aí que vai conhecer Dan, um homem que é alguns anos mais jovem que ela, mas que rapidamente a consegue tirar do sério e lhe mostra um desejo e uma paixão avassaladoras, como ela nunca conheceu. 
Quando sabe que Bill já não irá voltar para fazer com que o seu casamento não se perca nas páginas da história do tempo, num impulso decide partir para França com Dan e fazer assim o percurso que tinha planeado e acaba por se apaixonar por Dan, sem sequer se aperceber. Em França, descobre que com Dan pode ser a mulher que sempre sonhou em ser – livre, desinibida, mas lá no fundo, uma voz ainda lhe diz que ela não pertence ao lado de Dan – jovem, viril, belo. E as recordações da primeira lua-de-mel com Bill assaltam-lhe o pensamento…
O que fará Lara? Abraçará o seu novo amor e a sua nova vida e liberdade ou continuará a reprimir quem é, junto daquele que envelheceu com ela e com quem partilhou metade da sua vida? Escolherá ser feliz e apaixonada ou resignada com memórias não muito felizes?

A minha experiência com este livro não é fácil de explicar, mas prometo que farei o melhor que conseguir. O que acontece é que eu sinto-me muito dividida quanto a esta história. Em geral, posso dizer que gostei do livro, que me encheu as medidas até certo ponto, mas por outro lado, fiquei desiludida com as circunstâncias em que o enredo se apresentou e com a forma como a trama acabou por se desenvolver. As personagens não foram das minhas preferidas, mas sentia-me também ao mesmo tempo, desejosa de ler o livro. Não porque não estava a apreciá-lo, mas exactamente o contrário – estava a gostar muito de ler o livro. Complicado, não é? Então vamos por partes.

Já tendo lido outros dois livros da autora, já sabia o que podia esperar encontrar neste Lua-de-Mel em Paris e foi isso mesmo que encontrei. A sua escrita deliciou-me como sempre – agradável, muitíssimo fluída, de tal maneira que só me apetecia largar o livro apenas quando este acabasse. Um dos meus aspectos preferidos desta autora é que ela leva os seus leitores a passear por todo o mundo e isso é já, para mim, a sua imagem.
Uma história leve, com sabor a paixão, onde o cenário nos seduz igualmente. A ideia do enredo é muito boa e é capaz de agradar a qualquer coração romântico, pela sua leveza e pela aura de felicidade e de amor que emana. É uma daquelas histórias que nos faz sonhar acordados, nem que seja só um pouco.  
A viagem que acompanhamos neste livro é toda ela um misto de emoções: desespero, infelicidade, nostalgia. Mas a contrabalançar tudo isto, temos uma viagem completamente mágica, sedutora, cheia de paixão e desejo. Quente, paradisíaca. Fria e reconfortante. Um sonho propriamente dito. 

As personagens centrais são Lara e Dan. Lara acaba de fazer 45 anos quando conhece Dan que está na casa dos 30 anos. A princípio, não conseguimos perceber nada que ligue estas duas personagens – ela é sofisticada, ele um homem simples e despretensioso. Contudo, não conseguem negar a atracção que existe entre os dois e sabem que nunca sentiram nada do que estão agora a sentir e isso é o que os liga, embora Lara não consiga perceber porque é Dan, um jovem atraente, se interessou por uma mulher mais velha que já tem uma peles aqui e acolá. E depois temos Bill, o marido infiel de Lara. E aqui começam os meus problemas com a história.

Eu sou uma opositora veemente a tudo o que possa conduzir a qualquer tipo de adultério, seja ele de que maneira for, em que circunstâncias se apresentar. Mesmo quando existe uma possível justificação, eu não consigo compreender nem concordar com este tipo de atitude. A meu ver, nenhuma relação pode abrir espaço para outra pessoa e para mim não é admissível que mesmo quando isto aconteça, a relação possa continuar igual. Das duas uma: ou existe perdão, ou então existe ruptura. O que se sucede neste livro é uma situação que eu não consigo conceber de maneira nenhuma. O marido trai a mulher, a mulher trai o marido e o casamento fica em suspenso até que um deles se digne a lembrar-se de que é realmente comprometido legalmente e emocionalmente com outra pessoa e que alguma das coisas tem que ceder – ou o casamento, ou o caso. 
Ora, irritou-me para já, que ambas as partes do casamento fossem infiéis (embora a autora escreva a história de maneira a que o leitor se compadeça da Lara e que assim a sua infidelidade seja desculpada) e depois, irritou-me igualmente que a própria Lara, uma mulher já feita e com idade para ter juízo, não tivesse o bom-senso e racionalidade suficiente para tomar uma acção e ir em busca do amor, sem ser preciso enganar o marido com a sua imoralidade e acabasse também por mentir, conscientemente a Dan. Não gostei da personagem e irritou-me que, sendo uma mulher madura, fosse tão cega para a vida. E burrinha. Sim, a mulher não sabia ler um mapa, nem conduzir sem andar a bater com o carro em muros. Credo, é pior que ler anedotas de loiras (nada contra as loiras, atenção).

Mas, apesar de a Lara ser uma personagem muito pobre, eu gostei muito de ler o romance entre ela e Dan e acho que teve um desenvolvimento bastante gratificante, se eu escolher tirar da minha mente o tal “pro-maior” que me chateia e por isso mesmo é que me é tão difícil explicar o que senti com esta leitura. Porque eu gostei, francamente, de ler o livro. Não gostei é dos aspectos que enunciei e se tivesse que descrever o livro com apenas uma palavra, escolheria: contraditório. Porque é isso que ele é e é assim que me sinto quando penso neste livro. É uma leitura agradável e leve por um lado, frustrante por outro e parece por vezes, que estou a ler um romance de uma adolescente com crises existenciais.

Vá lá é que a autora conseguiu não me desiludir noutros aspectos e por isso mesmo,vou continuar a ler os livros dela, que conseguem sempre dar-me bons momentos, mesmo que neste caso último, isso seja um pouco relativo.
É o livro mais fraco dela que já li até agora, mas continua na minha lista a ler. Uma sugestão leve, que nos leva a percorrer França de norte a sul e a conhecer os sítios mais apaixonantes deste país.

Opiniões da mesma autora:

  
  
    

Advertisements

2 thoughts on “Lua-de-Mel em Paris

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s