A Filha da Minha Melhor Amiga

A forte relação de amizade entre Kamryn Matika e Adele Brannon, companheiras desde os tempos de faculdade, é destruída num instante de traição que marcará as suas vidas para sempre.
Anos depois desse incidente, Kamryn é uma mulher com uma carreira de sucesso, que vive sem ligações pessoais complexas, protegendo-se de todas as desilusões. Mas eis que, no dia do seu aniversário, Adele a contacta… A amiga de Kamryn está a morrer e implora-lhe que adopte a sua filha, Tegan, fruto da sua ilícita relação de uma noite com Nate.

Terá ela outra escolha? Será o perdão possível? O que estará Kamryn disposta a fazer pela amiga que lhe partiu o coração?
Uma viagem dolorosa e comovente de auto-conhecimento, uma leitura de cortar a respiração. 

ISBN: 9789720041241 – Porto Editora / 2008

Kamryn tinha tudo o que alguma vez podia desejar – um noivo que gostava de si tal e qual como ela era, uma melhor amiga fabulosa e que se encontrava sempre presente para quando ela necessitasse, um emprego que lhe permitia sentir-se realizada profissional e pessoalmente e uma afilhada adorável, de quem ela gostava muito e por quem daria tudo. Esta achava que tinha a sua vida planeada e tudo iria correr pelo melhor. O casamento seria dali a dois meses e todas as pessoas importantes estariam lá para a apoiar nesse momento tão importante da sua vida. 
No entanto, quando Kamryn descobre que a sua melhor amiga, Adele, e o seu noivo, Nate a traíram e que juntos conceberam a sua afilhada, Tegan, Ryn acha que a sua vida acabou ali. As duas pessoas em quem mais confiava na vida, desiludiram-na de maneiras que ela não consegue sequer começar a compreender e com tudo isto, Ryn acaba por cancelar o casamento e trocar a cidade de Londres pela de Leeds. 
Entretanto, passaram-se dois anos e no dia do seu aniversário, Ryn recebe uma notícia que a deixa completamente fora de si – a sua melhor amiga, Adele, encontra-se no hospital e resta-lhe pouco tempo de vida, pois esta sofre de uma doença terminal. E apesar de as duas amigas terem passado os dois últimos anos sem qualquer contacto, Adele pede a Ryn para que esta adopte de forma legal, a sua filha Tegan. 
E Ryn, sabe que é a última coisa que pode fazer antes de perder a sua melhor amiga da forma mais injusta possível. Esta é a única maneira de as duas amigas fazerem um género de trégua por todas as águas passadas. Contudo, Ryn tem plena noção de que ainda não perdoou totalmente Adele à sua traição e sabe perfeitamente de que criar Tegan será uma função emocionalmente difícil…

Esta foi a minha estreia com a autora Dorothy Koomson. Apesar de há alguns anos ter esta autora debaixo de olho, nunca consegui reunir todas as condições para arriscar a leitura destes livros. Não sei muito bem onde fui buscar esta ideia, mas a verdade, é que criei uma imagem na minha cabeça acerca desta autora e do seu estilo que acabou por se revelar muito longe da verdade. 
A verdade é que sempre achei que os livros desta autora seriam drama vendido aos quilos e livros com uma grande carga emocionalmente têm de ser escolhidos a dedo, não porque eu não gosto de os ler, mas porque tenho de os ler numa altura específica e não é de facto o meu género favorito, visto que eu sinto muito os livros e acabo por sofrer muito com os próprios personagens, histórias e as circunstâncias. Para mim, a vida real já tem drama a mais e acabo por restringir um pouco as leituras depressivas, por assim dizer.

Não posso dizer que este livro não é emocionalmente desafiante, porque é. Fala-nos sobre uma situação extremamente delicada – uma situação de luto, com uma criança desamparada sem perceber porque é a mãe a deixou, é uma situação que comove qualquer um. Contudo, estas circunstâncias não são descritas de uma forma que leva o leitor a pensar que o mundo está prestes a acabar e não há esperança para ninguém. Muito pelo contrário. A autora mostra-nos que apesar de esta ser uma situação difícil e extremamente delicada, existe maneira de superar as adversidades e as personagens lutam todos os dias para poder sorrir. 
Gostei muito da forma como a autora consegue emocionar o leitor com o dia-a-dia desta criança que luta por compreender porque é que já não pode ter a sua mamã a cuidar dela. 
Ainda assim, é uma leitura que apesar de ser  muito forte e emocional, acaba por dar alento e faz sorrir a quem tem o prazer de a ler.

O único contra nesta leitura, para mim, foi algumas falhas na protagonista que me mexeram os nervos e uma ou duas passagens que apareciam no livro sem nexo, sem nenhuma passagem lógica. De resto, tenho que referir a escrita viciante da autora e a forma apaixonante com que ela narra as vicissitudes da vida dos personagens que façam parte integrante deste drama. 

Esta foi uma história que me emocionou, que me tocou e que me deixou completamente agarrada ao livro. Chego ao final desta leitura com a certeza de que irei ler muitos mais livros desta autora, porque ela veio para ficar. 

Uma descoberta inesquecível e que já se tornou uma das melhores deste ano. 

  

12 thoughts on “A Filha da Minha Melhor Amiga

  1. o/

    Mais uma fã da Dorothy! É uma das minhas favoritas, está lá no topo!😉

    Agora tens de ler “Bons sonhos meu amor”, “Um erro inocente” e “O outro amor da vida dele” que juntamente com este são os 3 melhores dela😀

  2. dei-lhe a mesma classificação que tu :b

    BTW, o melhor que li dela até agora foi “O Outro Amor da Vida Dele”, ao qual só não dei as 5* por causa do epílogo que foi pequeno e apressado

  3. Como disse à Mafi, eu tenciono ler todos os livros dela conforme consiga… Mas fiquei mesmo impressionada!😛
    Agora em lista de espera está o Pedaços de Ternura e o Bons Sonhos, Meu Amor.😛
    Depois logo vejo o que se seguirá…😀

  4. A sériooo? :O
    Que bom, mas para já, já tenho imensa coisa para ler, não me sinto nada bem a pedir emprestado com tanta coisa que tenho de acabar de ler😛
    Mas depois hei-de ver se arranjo mais tarde alguém que me empreste ou na biblioteca😛

  5. Este foi o primeiro que li desta autora… Depois trouxe da biblioteca “Um erro inocente”. Adorei-os!!Embora tenha gostado mais do livro “A filha da minha melhor amiga”.

  6. Olá Filipa.🙂

    Antes de ler esta obra também esperava uma obra mais dramática, não sei bem porquê. Gosto muito desse género de livros, é um dos géneros que mais me toca e diz, contudo como referes são livros para ser lidos em certas alturas e esta obra acabou por me surpreender nesse sentido. Também gostei muito da história, penso que a autora escreve muito bem e nos consegue tocar com a ternura das suas obras. É, sem dúvida, uma autora que seguirei atentamente.🙂

    Beijinhos e boas leituras*

  7. Eu suponho que deve ser a imagem que as sinopses e os títulos dão ou mesmo a mensagem que os leitores fazem, consciente ou inconscientemente, passar. Mas de qualquer forma, fiquei muitíssimo admirada e foi uma obra que me consegui tocar muito!

  8. Este foi dos primeiros livros que li “a sério”..

    Já li também o Pedaços de Ternura e Erro Inocente.

    E aconselho todos. É das minhas escritoras favoritas, se não a favorita..

    Simplesmente adoro e sempre que posso lá é mais um livro que compro.

    A obra de Dorothy Koomson é daqueles que gosto mesmo de ler e arrumar na prateleira para mais tarde voltar a ler.

    Recomendo vivamente

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s