Estados de Espírito #21 – Leituras de Verão

As opiniões sobre os livros que leio são feitas logo a seguir ao momento em que acabo os livros. Desta maneira, consigo criar uma opinião mais fidedigna, onde aquilo que senti com a obra se nota de uma forma mais óbvia. As opiniões feitas no calor do momento permitem mostrar com mais intensidade tudo aquilo que eu senti durante a leitura do livro. 

As minhas opiniões nunca são feitas após ter passado um longo período de tempo depois da leitura do livro porque sinto que não ficam tão bem desenvolvidas ou com as ideias tão bem organizadas e fundamentadas.
Há certamente quem discorde desta noção, mas é assim que eu organizo as minhas ideias e por isso mesmo, os livros que li durante o tempo que fui de férias, não terão opiniões como as que estão habituados a ver n’O Labirinto.

Decidi então, fazer um conjunto de pequenos comentários gerais às minhas leituras, conjuntamente com a classificação que lhes dei. Além de ser uma maneira diferente de vos mostrar o que achei sobre estas obras, é uma maneira de fazer também a soma total das minhas leituras de verão.
      

Segue-se uma lista dos livros que li no meu verão e respectivas classificações.


Eu e TuEste é um pequeno livro que fala sobre um adolescente e a sua família, mais propriamente a sua meia-irmã e a relação entre os dois que vai florescer de uma maneira curiosa durante o livro. É um livro que nos faz reflectir sobre as relações humanas e acaba também por nos fazer reflectir sobre o valor que a família tem para cada de um nós, mesmo que por vezes possa parecer que a nossa família não tem valor. Eu gostei bastante do livro, mas ao chegar ao final da obra achei que poderia ter falado noutros aspectos, bem como poderia ter sido melhor desenvolvido.


Bel-Ami São muitas as boas opiniões para este livro. Eu adoro clássicos e acho que um leitor deve ser tentar conhecer a literatura que vem dos nossos antecessores para que possa entender como é que a literatura tem vindo a evoluir. Mais do que isso, é importante conhecer e reconhecer os grandes livros que se escreveram e que são por vezes esquecidos pelo passar do tempo. Bel-Ami de Guy de Maupassant é um destes clássicos da literatura e ao contrário de muitos leitores por aí fora que adoraram o livro, eu não consegui apreciar esta leitura como estava à espera que acontecesse. Foi uma leitura muito dura para mim, altamente aborrecida e que várias vezes me enervou, devido essencialmente ao protagonista, que simplesmente me colocou os nervos em franja. É um livro que não me deixa nenhuma memória particularmente feliz. 



O Fiel Jardineiro Outro livro que me aborreceu sobremaneira, especialmente devido à escrita do autor. Uma leitura exaustiva, muito cansativa e que me levou a pensar muitas vezes que um tema tão interessante deveria ter sido desenvolvido de uma forma mais apelativa para o leitor. 
A construção dos personagens também não foi muito feliz e não criei nenhuma empatia com nenhum deles. Aliado às altas expectativas que tinha, acabei por não aproveitar esta leitura da melhor maneira, pelo que acabei por ficar muito desiludida e sem vontade alguma de ler outras obras do autor. 



Balada da Praia dos Cães Esta foi uma leitura diferente. Apesar de não se ter revelado uma leitura extraordinária, posso dizer que gostei bastante da forma como o autor desenvolveu o seu enredo. Todo ele é muito envolvente, embora por vezes a escrita do autor me tivesse aborrecido. No entanto, esta foi uma descoberta que valeu muitíssimo a pena e ainda mais por ser uma obra portuguesa, por um autor que é considerado um dos mais importantes a nível nacional. Estou em crer que foi das melhores leituras deste verão. 



Mansfield Park É dito por aí que este é o livro da autoria de Jane Austen menos apreciado pelo público. Falando por mim, não posso afirmar que é dos meus preferidos, mas também não posso alegar ser aquele que menos aprecio. Gostei bastante da obra, leu-se de uma forma bastante agradável embora por vezes a protagonista, Fanny, me tenha posto a paciência à prova. No entanto, a história está muito bem desenvolvida e permitiu matar as saudades que tinha desta belíssima autora que marcou um século e continua hoje em dia a marcar milhões de leitores com o verdadeiro dom que esta tinha para a escrita. 



Emma A minha última leitura de verão, novamente Jane Austen. Este sim, revelou-se ser uma leitura mais infeliz que a anterior e chego à conclusão que este é o livro que menos gostei desta autora, até agora. Não consegui criar nenhuma ligação especial com a história, nem com os personagens e por isso mesmo, este livro soube-me a pouco. No entanto, Jane Austen continua a ser uma das escritoras do meu top pessoal e isso não se altera por uma obra. Espero que o próximo livro dela que leia me conquiste de forma diferente.   



Concluindo as minhas leituras de verão, não foi um período muito forte. Não existiu nenhum livro que me tivesse tirado do sério, mas acabei por sair da minha zona de conforto e encontrei novas realidades. Foi um verão de descobertas, afinal. 




Advertisements

2 thoughts on “Estados de Espírito #21 – Leituras de Verão

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s