A Vingança do Assassino





Opinião:

Cá estamos, retornados ao universo dos Seis Ducados. Depois da forma como o terceiro volume – A Corte dos Traidores – acabou, foi com grande entusiasmo que iniciei a leitura do penúltimo volume desta saga do Assassino. As expectativas têm  vindo a crescer de livro para livro, conforme me vou entranhando neste universo. A cada livro e a cada capítulo que passa, os livros têm-me satisfeito de formas diferentes, mas regra geral, têm-se tornado aos meus olhos, melhores, pelo que tendo a tornar-me cada vez mais exigente e também as minhas expectativas. De qualquer forma, sempre que pego num livro de Robin Hobb tento abafar ao máximo estas ditas expectativas, porque é uma autora muito característica e não posso dizer de qualquer maneira, que sei o que posso esperar das suas narrativas.
A cada livro que passa, nós leitores, testemunhamos mais uma aventura de Fitz e companhia e é com muito agrado que vejo este livro a debruçar-se mais sobre a personagem principal que desde o início, sempre demonstrou uma complexidade nada vulgar e tratos de personalidade interessantes e que até agora nunca tinham sido aprofundados de uma forma mais abrangente.

Não há dúvida alguma de que Robin Hobb é uma autora muitíssimo competente, tanto nas suas narrativas que compelem e atraem o leitor chegando de certa forma como que a enfeitiçá-lo; mas também pela construção de personagens exímia que faz. Posso dizer com toda a certeza que até hoje ainda não havia encontrado nenhum outro autor que construísse personagens que valem a pena conhecer de forma aprofundada, sem com isso se tornar entediante. Estes dois factores que refiro são o que continua, vezes e vezes sem conta a atrair nos livros da autora. 


Este livro, A Vingança do Assassino, representa para mim uma certa mudança na série. Até agora, a autora havia-se debruçado principalmente na ameaça que os Seis Ducados enfrentava todos os Verões, que são os Salteadores dos Navios Vermelhos e os reféns que este fazem durante as suas invasões ao território do reino. Neste quarto livro, a trajectória que a autora tomou levou a que esta ameaça passasse para um lugar com menos destaque na sua narrativa. Embora já se tenham visto algumas mudanças no livro anterior, este, claramente mudou o rumo da história. Com uma narrativa mais introspectiva, mais vagarosa (mais ainda do que é a sua imagem de marca), Hobb dá-nos a oportunidade de conhecer FitzCavalaria de uma forma que até agora não havia sido possível. É neste quarto volume que também temos a hipótese de conhecer um pouco mais sobre o Talento e a Manha, duas temáticas que embora sempre tenham estado presentes, nunca tinham sido exploradas como eu gostaria que tivessem sido. Por isso, embora não existam acontecimentos que deixem o leitor boquiaberto, ou mesmo ansioso, podemos entranhar-mo-nos neste universo e podemos ser embalados com a narrativa que chega até nos na voz de Fitz. 


Este é certamente um livro para preparar o final da saga. É um prelúdio do que virá. Quando penso neste livro penso na calma que se instala antes e depois de uma tempestade. Decerto que haverá acontecimentos menos tranquilos no livro que irá concluir a Saga do Assassino. Espero que o final seja tudo aquilo que eu estou à espera. O encontro está para breve e estou muito curiosa com este final. 


   

6 thoughts on “A Vingança do Assassino

  1. p7 says:

    Fizeste aí uma comparação excelente, este é realmente o livro-calmaria antes do livro-tempestade.😉

    Em retropectiva, concordo contigo. O ritmo mais lento e mais introspectivo do livro permite-nos conhecer melhor o Fitz, e permite-lhe crescer e avançar no trilho para a maturidade que às vezes ainda lhe falta. E adorei conhecer alguns dos novos personagens; pergunto-me o que achaste da Panela e da Esporana, que vão continuar a aparecer no próximo livro.🙂

    Para o último livro, o conselho que dou é não ires com a expectativa de que o final seja o cliché, o óbvio, o feliz. Duvido que a Robin Hobb saiba o que é ir pelo caminho mais fácil.😛 E creio que vais ficar satisfeita por saber que a Manha e o Talento, e a relação entre ambos, são ainda mais desenvolvidos no próximo livro.😀

  2. Eu com esta autora nunca sei o que esperar, pelo que tento ao máximo nunca criar expectativas. Mas fico contente que irão aparecer elementos que eu gostei neste. É uma boa notícia. De certeza que gostarei do livro, se gostei da saga até ao momento.

    Sobre as personagens que referiste, gostei delas. No entanto gostei muito mais de Panela do que a Esporana. Achei a velha muito forte, com uma carapaça muito dura, mas que sabe também oferecer bondade (como se viu no final). Também acabou por se tornar especial para mim, porque ela é de Torre de Cervo e acho que ela ainda vai surpreender. É muito esperta e percebe mais do que o Fitz acha que ela percebe.

    Sinto-me um bocado dividida com a Esporana, para dizer a verdade. Quando ela apareceu, gostei dela. E sempre gostei que ela até agora se mostrasse de confiança. Mas sinceramente irritaram-me aqueles momentos que ela passava com o Nico… enfim! Fiquei sem saber o que esperar!

  3. p7 says:

    A Panela é de facto muito especial. Tem um feitio difícil, mas tem bom coração. E há mais coisas interessantes acerca dela do que se diria à primeira vista.😉

    Quanto à Esporana, tive a mesma reacção que tu – irritou-me um bocado ali pelo meio, mas acabei a gostar dela e a compreendê-la. Acho que a Robin clarifica mais esta personagem, e os seus motivos e comportamentos no livro seguinte. Fiquei a achar que, tal como o Fitz, tinha ideias pré-concebidas sobre ela que estavam erradas.

    Acho que não posso elaborar mais sem spoilar, por isso digo apenas que estou curiosa para ver o que achas do último livro.🙂

  4. Espero, então, ser surpreendida com estas duas personagens. Ficaram-me na memória, na medida em que pouco sei sobre elas, mas sinto vontade e curiosidade em descobrir mais e conhecê-las melhor.
    Quanto ao final da saga, já tenho algumas ideias, mas como disse nunca sei o que esperar da autora, pelo que tento nunca fazer prognósticos.
    Vou ler brevemente o último livro, depois logo te digo o que achei dele!😀

  5. Expressaste bem o que esta quarta parte transmite, é mesmo um prelúdio e não posso deixar de pensar no que a Robin nos reservou para o final, até tenho medo!lool
    Que consigamos voltar ao Fitz rapidamente, pode ser que também o leiamos ao mesmo tempo como este😉

  6. Sem dúvida, GirlinChaiseLongue. Espero que o final me surpreenda. E espero gostar do último volume tanto como gostei deste.
    Quem sabe? Pode ser mesmo que se dê a oportunidade de ler ao mesmo tempo!😀

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s